SURFE NORDESTE
O NOSSO SITE
SURF EM DIA
PERFIL
GALERIA
SÉCULO 20
CONTATOS
ESPECIAIS
ARQUIVOS 2016
ARQUIVOS 2014
Arquivos 2015
Arquivos 2017
SURF EM DIA

 






Pernambuco, a terra dos altos coqueiros.

 



 PATROCINADORES








          

 
                                                                        

  NORONHA SEMPRE / APERTE O PLAY











   

 


  


17 de fevereiro 2018

PREMIUM PRO, O BLOCO REVOLUCIONÁRIO
.

Filme com Rômulo Bastos e Luel Felipe falando do
Premium PRO da Teccel que você lamina com epóxi.


12 de fevereiro 2018

CHUMBO QUENTE.

O jovem surfista de Saquarema (RJ), Lucas Chianca, 22 anos, conhecido como “Chumbo”, conquistou mais uma vitória surpreendente e inédita para o Brasil na World Surf League, o de campeão do Big Wave Tour Nazaré Challenge neste domingo em Portugal. Ele foi o melhor nas ondas gigantes de 25 a 35 pés, passando dos 10 metros de altura na Praia do Norte. Lucas superou competidores bem mais experientes do que ele, que está participando apenas do seu segundo evento no Circuito Mundial de Ondas Grandes da WSL.

Lucas Chianca (Foto: @WSL / Masurel)

Na bateria final, Lucas “Chumbo” derrotou o atual campeão mundial do World Surf League Big Wave Tour, Grant “Twiggy” Baker, da África do Sul, o vencedor do Puerto Escondido Challenge 2017/2018 no México, Kai Lenny, o também havaiano Billy Kemper bicampeão do Pe´ahi Challenge, além de outras duas surpresas como ele, o basco Natxo Gonzalez e o igualmente jovem havaiano Nathan Florence, irmão do bicampeão mundial John John Florence.

“Estou muito feliz por ganhar este evento e obrigado a todos pelo apoio”, disse Lucas Chianca. “Agradeço pela oportunidade de participar deste evento e, ganhar de todos esses caras que competem tão bem nestas condições, é muito louco, quase inacreditável. Foi difícil porque, quando você recebe a chamada para os eventos do BWT, é no último minuto. Nós voamos para cá assim que recebemos a ligação, cheguei um pouco cansado e depois fomos direto para a competição no dia seguinte. As ondas de ontem (sábado) estavam assustadoras e hoje estava a mesma coisa, então foi um grande campeonato e obrigado a todos”.

Lucas Chianca (Foto: @WSL / Antoine Justes)

Com a vitória no Nazaré Challenge, Lucas Chianca já aparece em quinto lugar no ranking do World Surf League Big Wave Tour 2018, encabeçado pelos havaianos Billy Kemper em primeiro lugar, Kai Lenny em segundo, Ian Walsh em terceiro e Makuakai Rothman. Kai Lenny abriu a grande final de uma hora de duração com uma onda fraca de 3,83 pontos. A próxima série entrou com o experiente Grant Baker dividindo o pico com Lucas Chianca. O sul-africano só conseguiu um 3,50, mas a onda do brasileiro foi melhor e valeu 7,33, a maior da bateria.

O surfista de Saquarema ainda surfou outra boa onda que rendeu 6,73 para consolidar sua primeira vitória da carreira no Big Wave Tour por 21,39 pontos. Nesta competição especial de ondas gigantes, a maior nota das duas computadas por cada competidor é multiplicada por dois. No final da bateria, Billy Kemper conseguiu ganhar notas 4,83 e 4,67 para conquistar o vice-campeonato por 14,33 pontos, contra 13,83 do basco Natxo Gonzalez, 13,23 do havaiano Kai Lenny, 12,23 do sul-africano Grant Baker e 10,89 do havaiano Nathan Florence.

Billy Kemper (Foto: @WSL / Antoine Justes)

Com o resultado, Billy Kemper assumiu a liderança no ranking do Big Wave Tour com 2.311 de vantagem sobre Kai Lenny, que estava na frente. Kemper também competiu nas duas provas do WSL Qualifying Series realizadas esse ano no Havaí. Ganhou o QS 1000 de Sunset Beach, ficou em 17.o no QS 3000 de Pipeline e ocupa a 15.a posição no ranking que classifica dez surfistas para disputar o título máximo do esporte no World Surf League Championship Tour.

“Eu estou na Lua agora de tanta felicidade”, vibrou Billy Kemper. “Em primeiro lugar, quero agradecer a este país, pois todas as pessoas aqui de Portugal são absolutamente incríveis e esse lugar é lindo. A recepção calorosa que vocês dão a todos nós, surfistas, é inacreditável e estou muito agradecido. Eu vim para cá com o objetivo de chegar na final e fiz o melhor que pude. Isso estava na minha mente o tempo todo, em cada bateria, em cada onda, então só agradeço por estar onde estou neste momento”.

Campeão do Nazaré Challenge 2016/2017, o australiano Jamie Mitchell desta vez ficou nas semifinais, sendo eliminado junto com mais dois destaques do sábado de ondas gigantescas na Praia do Norte, o norte-americano Peter Mel e o português Alex Botelho. Eles perderam a briga pelas três primeiras vagas na grande final para o campeão do evento, Lucas Chianca, o vice-campeão e novo número 1 do ranking, Billy Kemper, e para Nathan Florence.

Os finalistas do Nazaré Challenge (Foto: @WSL / Antoine Justes)

CARLOS BURLE – A vitória em Portugal foi a primeira de Lucas Chianca em seu segundo evento do Big Wave Tour e o Nazaré Challenge também fica marcado na história do surfe mundial e brasileiro por ter sido o último da carreira do pernambucano Carlos Burle. Ele foi um dos pioneiros no surfe de ondas gigantes, conquistou o título mundial do BWT e já havia anunciado sua aposentadoria no ano passado. Ele competiu neste evento para fechar a carreira, mas o surfista de 50 anos de idade não passou da primeira fase no sábado.

“Estou me afastando das competições para poder trabalhar com o Lucas (Chianca), que é um grande talento e é muito bom poder seguir contribuindo com o esporte depois de se aposentar”, disse Carlos Burle. “Foi uma vida maravilhosa buscando grandes ondas e vendo e testemunhando toda a evolução deste belo esporte que eu tanto amo. Eu vejo um futuro brilhante para o surfe de ondas grandes, com muitos surfistas jovens que estão surgindo com talento e performance para ondas enormes. Certamente, vai melhorar cada vez mais”.

O próximo desafio do World Surf League Big Wave Tour é o Mavericks Challenge, que pode decidir o campeão mundial da temporada e tem chances de acontecer até o dia 28 de fevereiro. A comissão técnica do BWT continua monitorando as condições do mar e só ligarão o sinal verde para o evento quando as ondas atingirem a marca de 30 pés, avisando todos os competidores com uma antecedência mínima de 72 horas.


09 de fevereiro 2018

VERÃO TÁ O BICHO.



06 de fevereiro 2018

WESLLEY DANTAS FAZ BONITO NO HAWAII.

Um domingo com cenário perfeito em Banzai Pipeline para encerrar o QS 3000 Volcom Pipe Pro e os havaianos comandaram o show nos tubos de 8-12 pés do último dia. O experiente Jamie O´Brien, 34 anos, surfou o mais incrível da final para ganhar nota 10 unânime dos cinco juízes. Mas, Joshua Moniz, 21 anos, ainda achou um muito bom também nos últimos minutos que valeu 8,73 para faturar o título por 17,56 a 17,43 pontos e assumir a liderança do WSL Qualifying Series 2018. O brasileiro Weslley Dantas foi a grande surpresa, era o mais jovem entre os finalistas com apenas 19 anos e ficou em terceiro lugar, à frente do californiano Cam Richards, 22, que também conseguiu uma nota 10 no caminho até a decisão no Havaí.

Weslley Dantas (@WSL / Tony Heff)

Com o brilhante resultado em sua primeira vez competindo nos tubos do templo sagrado do esporte, o irmão mais jovem de Wiggolly Dantas, que estava no CT até o ano passado, começa o ano em 11.o lugar no ranking das sete etapas completadas na ilha de Oahu. Está na porta de entrada do grupo dos dez que se classificam para a divisão de elite da World Surf League, que no momento não tem nenhum surfista do Brasil ou da América do Sul. O também paulista Miguel Pupo estava no G-10, mas não competiu no QS 3000 do Havaí e caiu do sexto para o 17.o lugar. Weslley Dantas agora é o mais bem colocado neste início de temporada.

Além dele, quem também conseguiu um ótimo resultado no Volcom Pipe Pro foi o peruano Alvaro Malpartida. Ele fez grandes apresentações, surfou belos tubos durante o dia, mas infelizmente não conseguiu pegar boas ondas na semifinal que Weslley Dantas se classificou junto com o havaiano Jamie O´Brien. Malpartida foi um dos quatro peruanos que chegaram no domingo decisivo e terminou em sétimo lugar no Havaí, dividindo a 24.a posição no ranking do QS com o top da elite, Joan Duru, da França, eliminado na primeira semifinal.

Joshua Moniz (@WSL / Keoki Saguibo)

A grande final foi um show havaiano à parte, de como entubar de backside nas esquerdas de Banzai Pipeline. O experiente Jamie O´Brien, que já tem até uma coroa de Pipe Master no currículo, começou bem num tubo que valeu 7,43. Joshua Moniz ficou mais profundo no primeiro dele e largou na frente com 8,83. Josh liderava com 6,97 da sua segunda onda, mas o Mr. Pipeline sumiu num tubaço incrível, ficou entocado lá dentro passando por várias placas até sair na baforada com uma nota 10. A vitória parecia consumada, porém Josh Moniz ainda achou outro tubo enorme e aproveitou a chance muito bem para receber nota 8,73 e virar o placar para 17,56 a 17,43 pontos.

“Eu nem consigo acreditar que ganhei o campeonato”, disse Joshua Moniz. “Foi um longo dia, mas quando acordei esta manhã, tive a sensação de que alguma coisa boa iria acontecer pra mim. Fazia tempo que eu não vencia um evento e estou muito feliz. Esta certamente é a maior vitória da minha carreira profissional. O único título melhor do que esse é o do Pipe Masters, que espero conseguir um dia, mas, por enquanto, esta é a maior vitória da minha vida e vou lembrar disso para sempre”.

Alvaro Malpartida (@WSL / Keoki Saguibo)

COMANDO PERUANO – O brasileiro Weslley Dantas terminou em terceiro lugar com 11,23 pontos e o norte-americano Cam Richards em quarto com 10,84. O resultado do jovem surfista de Ubatuba coroou a boa campanha sul-americana no mar desafiador de Banzai Pipeline, comandada de forma inédita pelos peruanos. Pela primeira vez, eles chegaram no último dia de uma etapa do QS no Havaí em maior número do que o de brasileiros. Miguel Tudela, Alvaro Malpartida, Joaquin del Castillo e Cristobal de Col, fizeram história nos tubos mais desejados do planeta com as quatro vitórias conquistadas no sábado, na rodada classificatória para as oitavas de final.

OITAVAS DE FINAL – O domingo decisivo começou nessa fase e dois dos três brasileiros perderam nas primeiras baterias do dia. O pernambucano Ian Gouveia surfou um tubaço nota 8,93 em sua primeira onda, porém não completou mais nenhum e ficou em terceiro lugar, enquanto o paulista Robson Santos não achou nada na sua e terminou em último.

Já os peruanos começaram o dia com uma classificação dupla de Alvaro Malpartida e Joaquin del Castillo, contra o havaiano Tanner Hendrickson e o australiano Mikey Wright, irmão mais jovem do top da elite, Owen Wright, bem como da bicampeã mundial, Tyler Wright. Os outros dois peruanos não conseguiram passar suas baterias. Cristobal de Col ficou em último na sua e Miguel Tudela em terceiro na que Weslley Dantas avançou para as quartas de final junto com Jamie O´Brien, fato que se repetiu nas semifinais.

Marco Giorgi (@WSL / Tony Heff)

URUGUAIO RECORDISTA – Entre as duas eliminações peruanas nas oitavas de final, quem brilhou foi o uruguaio Marco Giorgi. Ele competiu numa hora boa do mar e surfou dois tubos fantásticos que valeram notas 9,50 e 8,50 para registrar o maior placar do último dia, 18,00 pontos de 20 possíveis. O costa-ricense Carlos Munoz também saiu na baforada de um mais incrível ainda, que arrancou a primeira nota 10 do domingo. Mesmo assim, ele ficou em segundo lugar com 16,77 pontos.

QUARTAS DE FINAL – Nas quartas de final, Weslley Dantas e Alvaro Malpartida fizeram mais uma dobradinha sul-americana sobre dois surfistas da “Galeria Nota 10” do Volcom Pipe Pro, o próprio Carlos Munoz e o havaiano Finn McGill, que em janeiro conquistou o título mundial Pro Junior de 2017 da World Surf League na Austrália e tinha sido o primeiro a ganhar nota máxima em Pipeline esse ano. Malpartida começou bem com nota 8,33, mas Weslley surfou um melhor que valeu 9,07 para vencer por 13,74 a 12,66 pontos.

Jamie O’Brien (Foto: Tony Heff – WSL)

Na disputa seguinte, o uruguaio Marco Giorgi e o peruano Joaquin del Castillo poderiam até formar uma semifinal 100% sul-americana no maior palco do esporte. No entanto, ambos não tiveram muitas chances para surfar e perderam para Jamie O´Brien e Mitchell Parkinson. O havaiano pegou dois tubaços para vencer fácil por 16,00 pontos, contra 9,60 do australiano, 5,87 de Marco Giorgi e apenas 3,90 de Joaquin del Castillo. O uruguaio terminou em nono lugar no Volcom Pipe Pro e o peruano em 13.o.

 

 

Joshua Moniz, Jamie O´Brien, Weslley Dantas e Cam Richards (@WSL / Tony Heff)

 





















RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO QS 3000 VOLCOM PIPE PRO
:

Campeão: Joshua Moniz (HAV) por 17,56 pontos (8,83+8,73) – US$ 12.000 e 3.000 pontos

Vice-campeão: Jamie O´Brien (HAV) com 17,43 pontos (10,0+7,43) – US$ 6.000 e 2.250 pontos

Terceiro lugar: Weslley Dantas (BRA) com 11,23 (5,93+5,30) – US$ 4.500 e 1.680 pontos

Quarto lugar: Cam Richards (EUA) com 10,84 (6,57+4,27) – US$ 3.500 e 1.580 pontos

SEMIFINAIS – 3.o=5.o lugar (US$ 2.200 e 1.260 pts) e 4.o=7.o lugar (US$ 1.800 e 1.180 pts):

1.a: 1-Cam Richards (EUA), 2-Joshua Moniz (HAV), 3-Noa Deane (AUS), 4-Joan Duru (FRA)

2.a: 1-Jamie O´Brien (HAV), 2-Weslley Dantas (BRA), 3-Mitchell Parkinson (AUS), 4-Alvaro Malpartida (PER)

QUARTAS DE FINAL – 3.o=9.o lugar (US$ 1.500 e 900 pts) e 4.o=13.o lugar (US$ 1.250 e 840 pts):

1.a: 1-Cam Richards (EUA), 2-Noa Deane (AUS), 3-Evan Valiere (HAV), 4-Koa Smith (HAV)

2.a: 1-Joan Duru (FRA), 2-Joshua Moniz (HAV), 3-Aritz Aranburu (ESP), 4-Jack Robinson (AUS)

3.a: 1-Weslley Dantas (BRA)2-Alvaro Malpartida (PER), 3-Finn McGill (HAV), 4-Carlos Munoz (CRI)

4.a: 1-Jamie O´Brien (HAV), 2-Mitchell Parkinson (AUS), 3-Marco Giorgi (URU), 4-Joaquin del Castillo (PER)

OITAVAS DE FINAL – 3.o=17.o lugar (US$ 1.000 e 600 pts) e 4.o=25.o lugar (US$ 750 e 555 pts):

1.a: 1-Koa Smith (HAV), 2-Aritz Aranburu (ESP), 3-Billy Kemper (HAV), 4-Noa Mizuno (HAV)

2.a: 1-Cam Richards (EUA), 2-Joan Duru (FRA), 3-Ian Gouveia (BRA), 4-Ian Crane (EUA)

3.a: 1-Jack Robinson (AUS), 2-Evan Valiere (HAV), 3-Mason Ho (HAV), 4-Robson Santos (BRA)

4.a: 1-Joshua Moniz (HAV), 2-Noa Deane (AUS), 3-Soli Bailey (AUS), 4-Masatoshi Ohno (JPN)

5.a: 1-Alvaro Malpartida (PER)2-Joaquin del Castillo (PER), 3-Tanner Hendrickson (HAV), 4-Mikey Wright (AUS)

6.a: 1-Finn McGill (HAV), 2-Mitch Parkinson (AUS), 3-Ian Walsh (HAV), 4-Cristobal de Col (PER)

7.a: 1-Marco Giorgi (URU), 2-Carlos Munoz (CRI), 3-Ezekiel Lau (HAV), 4-Takayuki Wakita (JPN)

8.a: 1-Jamie O´Brien (HAV), 2-Weslley Dantas (BRA)3-Miguel Tudela (PER), 4-Laheki Minamishen (EUA)

G-10 DO WSL QUALIFYING SERIES 2018 – 7 etapas:

01: Joshua Moniz (HAV) – 3.200 pontos

02: Matthew McGillivray (AFR) – 3.180

03: Jorgann Couzinet (FRA) – 2.385

04: Charles Martin (FRA) – 2.250

04: Jamie O´Brien (HAV) – 2.250

06: Cam Richards (EUA) – 2.210

07: Ruben Vitoria (ESP) – 2.100

08: Kei Kobayashi (EUA) – 1.980

08: Nelson Cloarec (FRA) – 1.980

10: Aritz Aranburu (ESP) – 1.740

——próximos sul-americanos até 100:

11: Weslley Dantas (BRA) – 1.680 pontos


28 de janeiro 2018

DESTAQUE DA SEMANA.

Imagens do terral de verão que bateu essa semana no
litoral pernambucano, fazendo a alegria da comunidade.


23 de janeiro 2018

VERÃO MOLHADO AMANHECE COM TERRAL


19 de janeiro 2018


LUCAS CHUMBINHO DETONA EM MAVERICKS.

"Havia conjuntos de 50 a 60 pés com certeza", disse o fotógrafo Frank Quirarte, um veterano atirador Mavericks que funciona como um motorista de esqui de segurança. "Isso foi facilmente o maior surf que tivemos aqui em mais de uma dúzia de anos".

"O que estava acontecendo nesta manhã, eu só vi isso nesse intervalo talvez duas ou três vezes antes", disse Peter Mel, ex-comissário da WSL Big Wave Tour. "Parece um monumento nacional a esse tamanho. É como verificar Niagara Falls".


17 de janeiro 2018

BAÍA FORMOSA VERÃO SHOW.




13 de janeiro 2018

JONATHA AIR SANTOS


Um dos mais talentosos de Baía Formosa mostrando como
passar pela rasa bancada do Pontal.


09 de janeiro 2018

SWELL DE NORTE AVANÇA SOBRE O NORDESTE.

Um swell de norte esta se aproximando da costa nordestina,
prometendo ser o primeiro bom swell do ano. Locais como
Noronha, Ceará e Rio Grande do Norte começam a se movimentar.


07 de janeiro 2018

TECCEL LANÇA BLOCO REVOLUCIONÁRIO.

Veja o lançamento mundial do novo bloco de poliuretano produzindo
pela Teccel, Premium PRO, que é perfeito para laminar com epóxi.


02 de janeiro 2018

JUNIOR LAGOSTA EM BAÍA FORMOSA.